23 de maio de 2017

Divulgação Termo de Referência - Elaboração Instrumentos de Gestão Arquivística

Prezado(a) Senhor(a)

Informamos que a CAIXA, por meio do PNUD, está buscando a contratação da prestação de serviços de consultoria para a elaboração dos instrumentos de gestão arquivística.
As condições para a contratação do profissional constam do Termo de Referência nº 002/2017, publicado por meio do endereço http://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/operations/jobs.html.

Os currículos devem ser encaminhados para o e-mail gersa@caixa.gov.br,, até o dia 26/05/2017, e deverão estar em formato pdf.

O processo seletivo se dará em Brasília – DF.

A ANPOCS APOIA O FÓRUM NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA EM ARQUIVOLOGIA (FEPARQ) NO MANIFESTO SOBRE A SITUAÇÃO DO ARQUIVO NACIONAL

Fórum Nacional de Ensino e Pesquisa em Arquivologia
A situação gerencial do Arquivo Nacional
Desde janeiro de 2016, o Arquivo Nacional passou por três gestões, entre um diretor nomeado e exonerado duas vezes e um interino. Nenhum desses gestores apresentavam os requisitos básicos, em termos de conhecimento e experiência em Arquivologia, para exercerem um cargo de tamanha responsabilidade.
Essa instabilidade gerencial, por si só, sinaliza a fragilidade institucional de uma instituição fundamental para o Brasil.
O Arquivo Nacional é a instituição arquivística mais importante do país. É responsável pela conservação e acesso a um acervo de 55 quilômetros de documentos textuais, além de milhares de documentos audiovisuais. Paralelamente, tem a obrigação legal de atuar na gestão dos documentos de todo o Poder Executivo Federal. Na sua estrutura, funciona o Conselho Nacional de Arquivos, incumbido da política nacional de Arquivos e órgão central do Sistema Nacional de Arquivos.
Evidentemente, os problemas do Arquivo Nacional não começam em 2016. Criado em 1838, o Arquivo Nacional, ao contrário do que ocorre em muitos países, sempre esteve na periferia do Estado. Desde os anos de 1980, a instituição tem buscado avanços que se não reverteram sua histórica debilidade institucional, possibilitaram ampliar sua vocação e relevância social. Apesar de suas dificuldades estruturais, ao longo das últimas décadas, o Arquivo Nacional estendeu seu espaço como território do Estado a serviço da sociedade, da democratização da informação governamental e do exercício do direito do cidadão à informação, à memória e à cultura.
Ao ser vinculado à Casa Civil da Presidência da República, em 2000, deixando o Ministério da Justiça, o Arquivo Nacional adquiriu melhores condições, especialmente políticas e orçamentárias. A volta do Arquivo Nacional para o Ministério da Justiça em 2011 foi um retrocesso político, gerencial e científico.
Uma instituição dessa importância deveria ser tratada como órgão de Estado e não como mera moeda de troca política em detrimento da qualidade da gestão pública. Não por acaso, na Conferência Nacional de Arquivos, promovida pelo Ministério de Justiça em dezembro de 2011, aprovou-se uma moção voltada para o processo de escolha do cargo de diretor-geral do Arquivo Nacional: “mandato com tempo definido; limite de uma recondução ao cargo; chamada pública de interessados a ocupantes do cargo; eleição interna no sistema de lista tríplice; e criação de colegiado interno de natureza consultiva e deliberativa, com participação de representantes de servidores”.
Esse processo de escolha foi ignorado pelo Ministério da Justiça. Porém, algo mais grave vem sendo negligenciado: a Direção-Geral do Arquivo Nacional deve ser exercida por pessoa com experiência na gestão pública, alta qualificação acadêmica e conhecimento da Arquivologia e do papel dos arquivos no mundo contemporâneo, além de capacidade de diálogo com diversos segmentos políticos, culturais e científicos.
O Fórum Nacional de Ensino e Pesquisa em Arquivologia, que reúne professores de todos os cursos de Arquivologia do Brasil e pesquisadores de diversas instituições científicas, expressa sua expectativa de que os problemas do Arquivo Nacional não sejam ainda mais acirrados com escolhas inadequadas para a Direção-Geral da instituição.
Solicitamos que o Ministério da Justiça, tal como ocorre com sucesso em outros órgãos federais, institua Comitê de Busca, composto por membros altamente qualificados em Arquivologia, para subsidiar o Ministro de Estado da Justiça na escolha do/a Diretor/a- Geral do Arquivo Nacional.
Num momento de crise como o que passa o país, essa alternativa, certamente contribuirá para o Arquivo Nacional avançar nas suas funções, imprescindíveis para o Estado e a sociedade brasileira.
Clique aqui e veja os nomes dos docentes e pesquisadores brasileiros de Arquivologia que apoiaram este Manifesto. 
Saiba mais: ANPOCS

Vaga de Estágio em Arquivologia no MPE-RJ

Estágio Remunerado


Instituição: Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.
Carga Horária: 4 horas diárias (de segunda a sexta-feira).
Bolsa-Auxílio: R$ 600,00 (seiscentos reais).
Auxílio-Transporte: R$ 7,60 (sete reais e sessenta centavos) por dia de trabalho.

Requisitos:

§  Estar cursando faculdade de Arquivologia

Inscrições:

Enviar currículo para drh.estagio@mprj.mp.br com os seguintes dados:

§  Nome;
§  Idade;
§  Endereço;
§  Telefones de contato;
§  Email;
§  Nome da Instituição de Ensino;
§  Período;
§  Horário Escolar

§  Experiências anteriores

Vaga para Arquivista e Vaga de Auxiliar de Arquivo - Rio de Janeiro / RJ

Vaga para Arquivista 
 
Requisitos:
 
-Sexo Masculino

-Com Sólidos conhecimentos em organização documental com enfase no desenvolvimento de Tabela de Temporalidade e instrumentos de pesquisa.

-Experiencia Minima de 03 anos pós formado.

-Excel Avançado

Desejável que já tenha coordenado equipes em projetos de organização.
 
A empresa oferece salário compatível com o Mercado, VT E VR.
 
 
Auxilar de Arquivo
 
Requisitos:

-Sexo Masculino
 
-Nível Médio completo
 
-Pacote Office
 
-Experiencia em organização documental, Higienização e catalogação de documentos
 
A empresa oferece salário compativel com o Mercado, VT E VR
 
 
Interrados enviar currículo para o e-mail contato@docorg.com.br 
 

17 de maio de 2017

1 Vaga de Estagiário (a) de Arquivologia (pelo CIEE) com Início imediato - Cascadura / Rio de Janeiro

1 Vaga de Estagiário (a) de Arquivologia (pelo CIEE) com Início imediato - Cascadura / Rio de Janeiro

Oferta:

v 1 vagas
v Bolsa:  Bolsa R$ 600,00 + Auxílio Transporte R$ 120,00
v Horário: Segunda à sexta-feira  das 12h00 as 16h00 ou 13h00 às 17h00.

Requisitos:

v Estar cursando ensino superior em Arquivologia a partir do 3º período até o 6º período
v Morar em fácil acesso a Cascadura
Atividades:

v  Auxílio em aplicar técnicas de classificação, higienização, preservação e guarda de documentos
v Local de Estágio : Faculdades Souza Marques - Av Ernani Cardoso, 335 – Cascadura.

PROCURAR DIRETAMENTE O CIEE INFORMANDO O CÓDIGO 02154827

16 de maio de 2017

Associação dos Arquivistas da Bahia - SÉRIE DIÁLOGOS

Associação dos Arquivistas da Bahia


SÉRIE DIÁLOGOS

PROMOÇÃO: Associação de Arquivistas da Bahia (AABA)

APOIO: DA Arquivologia
 
OBJETIVOS: A série de mesas-redondas pretende abordar questões de interesse dos arquivistas a partir do diálogo interdisciplinar com outros campos teóricos afins. 

PÚBLICO ALVO: Arquivistas, bibliotecários, museólogos, estudantes e interessados em geral. 
 
TEMA: Diplomática Contemporânea como subsídio à organização de documentos de arquivo. 
 
PALESTRAS: 

Diplomática Contemporânea: identificação tipológica e manutenção de requisitos de autenticidade 
(Prof. Dr. Daniel Flores - UFSM) 

Crítica Filológica: interfaces crítico-analíticas para estudo do texto
(Prof. Dr. Arivaldo Sacramento - UFBA)
 
Data: 19/05/17
Horário: 17: 00 às 19:00 horas
Local: Sala 1 – Instituto de Ciência da Informação
 
Certificado para ouvintes.

Inscrições pelo link: https://goo.gl/forms/tKeDLFueFODqNVf43

Dúvidas pelo e-mail: diretoriaaaba.comunicacao@gmail.com 

Visite a nossa página: http://www.arquivistasbahia.org/ 

6 de maio de 2017

VAGA DE TÉCNICO ARQUIVOLOGIA - RIO DE JANEIRO

Oportunidade para TÉCNICO ARQUIVOLOGIA

Formação: Superior completo em Arquivologia.

Conhecimento em informática - nível intermediário.

Imprescindível experiência na área. 

Salário: R$ 1.800,00.

Benefícios: Assistência Médica , Assistência Odontológica,Vale refeição/alimentação e Vale-transporte.

Regime de contratação: CLT (Efetivo).

Horário de trabalho: De segunda a sexta, das 8h às 18h.

Competências: Atenção; Organização; Boa postura; Agilidade; Comprometimento e pontualidade.

* Interessados e de acordo com o perfil solicitado acima, favor encaminhar currículo no corpo do e-mail para: talentosvips@yahoo.com.br, mencionar no campo assunto: TÉC. ARQ.